Mosquetão de Ouro 2018

Mosquetão de Ouro 2018

Montanhismo

Conheça os concorrentes:

Marcos Costa

Escalou o Gasherbrum II (8035m) no Paquistão sem uso de oxigênio e cordas fixas, em estilo alpino, autônomo e independente em julho de 2017. Foram mais de 20 dias de expedição e o primeiro cume de 8000 do teresopolitano. Em março de 2017, Marcos havia escalado a face norte do Eiger, tendo sido o primeiro brasileiro a fazer essa que é uma das paredes consideradas mais difíceis dos Alpes.

» Veja o relato

Maximo Kausch

Maximo, argentino radicado no Brasil, tornou-se o primeiro montanhista do mundo a escalar todas as montanhas acima de 6 mil metros dos Andes da Argentina e Chile (no total 62 montanhas diferentes escaladas desde 2012), tendo completado o feito com a ascensão ao Alto San Juan, (6148 metros) em 21 de dezembro de 2017.

» Veja a lista completa e mais informações

Leandro Cechinel, Cleverson Souza e Lucas Feltrin

Primeira Repetição da Travessia Alpha-Crucis: 12 dias, 3 Serras e 55 Montanhas, nas serras do Ibitiraquiri, Farinha Seca e Marumbi, no Paraná. Para quem fez alguma desses três travessias que engloba a Alpha Crucis, tem a certeza da tamanha dificuldade e logística em realizar essa travessia que tem alto grau de dificuldade pela vegetação e grande declínios de vales (01/06/2017 a 12/06/2017)

» Veja mais informações

Escalada

Conheça os concorrentes:

Branca Franco

Cordada feminina em companhia de Caroline Ramirez (Colombiana) na Esfinge (5.325 m) pela a Rota Original, graduada em 6a A1(6c+) e 750 metros. A Esfinge é a maior parede rochosa do Peru e a dupla repetiu a via em julho de 2017.

» Mais informações e croqui
» Veja o relato da Branca

Sergio Ricardo e Wellison Mateus

A dupla escalou em livre a via Planeta dos Macacos de 650 mt com graduação 10a (8a+ fr) na Filhote (Complexo da Pedra Riscada,  MG) em junho de 2017. Embora não tenham encadenado a enfiada mais dificil, realizaram a via em 1 dia até o cume. A via é considerada um big wall, sendo que a última repetição levou 2 dias para atingir o cume.

Diego Moreira, Fernanda Lupo, Kelvyn Medeiros, Márcio Bortolusso

Conquista da Via sem Nome – 4o VIIa E3 300m (+ 370 m de escalaminhada para o cume), a primeira via nessa parede bastante remota. Via realizada em estilo livre, de muita aventura e comprometimento.  Foram mais de 15 dias de expedição autônoma, com 120 kg levados ao acampamento base pela falta de água no local. 

» Mais informações aqui

Montanhismo e Sociedade

Conheça os concorrentes:

Encontro de Escaladores do Nordeste

Com 17 edições, o Encontro de Escaladores do Nordeste se tornou o mais importante encontro regional de escalada, sendo um aglutinador dos escaladores e e o fator mais importante para o desenvolvimento da escalada em rocha na região, atraindo escaladores não apenas do nordeste, mas de todo o Brasil e do exterior. Foi criado com o intuito de aproximar os escaladores nordestinos, atualmente ampliou e promove também a integração entre as associações organizadoras, escaladores e a população local, valorizando a cultura, os costumes e a economia dos locais. O primeiro Encontro foi em 1999 no que é hoje o Parque Estadual da Pedra da Boca (PB) e anualmente é organizado em um estado distinto, incentivando pessoas de várias partes do país a conhecerem e frequentarem os polos de escalada do nordeste.

Alexandre Diniz

Um dos principais incentivadores e divulgadores culturais do montanhismo no Brasil. Pioneiro na produção do Festival de Cinema de Montanha no Brasil, organizou 16 edições (desde 2001) inicialmente como Mostra Banff de Cinema de Montanha e agora como Rio Mountain Festival. Incentivou a produção nacional através da mostra competitiva e promoveu diversos eventos paralelos relacionados à cultura de montanha, como: exposição fotográficas, lançamentos de livros e palestras, como a de Alex Honnold (2015). É um colaborador permanente da FEMERJ, onde exerceu o cargo de diretor de competições. Atuou na produção da Abertura de Temporada de Montanhismo do Rio de Janeiro de 2011 a 2016, participando ativamente da realização da 1ª Semana Brasileira de Montanhismo (SBM), em 2012 e da 2ª SBM em 2015. Nesses eventos foi responsável pela produção do Cine Montanha na Praça, até a sua 7ª edição, em 2017 .

Oswaldo Baldin

Nascido, crescido e moldado nas montanhas capixabas, Baldin sempre esteve atuante em prol do desenvolvimento e divulgação da escalada capixaba. Foi um dos fundadores do CUMES (1999) e da ACE (2003), onde compôs o conselho gestor por vários anos e colaborou com a organização de diversos eventos e ações, buscando a prática da escalada em unidades de conservação no ES. Desenvolveu áreas de escalada importantes e conquistou mais de 150 vias. Guia e instrutor na Planeta Vertical (pioneira no Estado) desde 2000, é responsável pela formação de grande parcela dos escaladores capixabas. Sempre motivado a divulgar as potencialidades do ES, produziu diversas matérias, vídeos, filmes premiados, e após 23 anos dedicados à escalada capixaba concretizou o maior dos projetos, publicando o livro “Escalada Capixaba: a história e o panorama da escalada no Espírito Santo”, que sagrou-se o primeiro guia de escaladas no Brasil a englobar um Estado inteiro.

» Veja mais informações

Montanhismo e Ação Local

Conheça os concorrentes:

Grupo Paulista de Montanhismo

Com o propósito de buscar maior qualidade de vida para Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida (PDMR) através dos esportes de montanha, o Grupo Paulista de (GPM) desenvolveu o Projeto de Inclusão Social, iniciando com Deficientes Visuais (DVs). Em 2016, foi realizado um projeto-piloto com a participação de dois DVs. Em 2017, contou com a participação de 8 DVs e 20 voluntários montanhistas. O projeto começou com um treinamento indoor e uma escalada na Pedra do Santuário (Pedra Bela/SP).
No âmbito do projeto de inclusão, foi desenvolvido um piloto em 2018 para levar cadeirantes para escalar.

Clube Excursionista Light – Papo de Montanha

O projeto é uma iniciativa do Clube Excursionista Light – CEL e visa difundir conhecimento entre os montanhistas, através de um ciclo de palestras e debates. As palestras e debates são realizadas por montanhistas, cuja experiência e feitos sejam de total relevância para o assunto abordado, possibilitando a comunhão de experiências vividas e a manutenção da história do nosso esporte. As palestras são realizadas mensalmente desde 2010, fechando 2017 com 75 Papos.

» Mais informações

Expedições Solidárias GenteDeMontanha / Instituto Dharma

A agência GenteDeMontanha realizou 3 ações solidárias em 3 países diferentes: Brasil, Nepal e Tanzânia. Na expedição ao Monte Roraima, foram 23 pessoas que participaram e que totalizou 15 mil reais de doação para uma ação médica no Piauí. 

» Veja mais sobre a Expedição no Nepal e
também sobre a Expedição em Petrolina

Escalada Esportiva

Conheça os concorrentes:

Felipe Camargo

Primeiro brasileiro a encadenar via 9a+ frances (12a BR): a via “Papichulo” na Cidade de Oliana na Espanha – em abril de 2017.

» Mais informações no Blog de Escalada e no Blog Desce daí Doido

Pedro Nicoloso

Pela cadena da “Mistérios do Inconsciente”, que é possivelmente o primeiro 11b do Rio Grande do Sul, em Caçapava do Sul, julho de 2017.

» Foto e mais informações

Guilherme Faoro

Encadenou em 2017 as seguintes vias Transamazônica Xa, Sigarets Xa, Lágrimas de Sangue Xb e Vaca Louca Xb, todas em um período de menos de 3 meses (de maio a julho de 2017). As vias ficam no Campo Escola 2000 (Transamazônica) e as demais na falésia da Barrinha (RJ)

Vida na Montanha

Conheça os concorrentes:

Vitamina (Henrique Paulo Schimidlin)

Nos anos 1940, Vitamina foi conhecer o Marumbi e nunca mais parou. Alinhou-se entre os melhores escaladores de rocha de sua época e participou da abertura de vias que se tornaram clássicas, como a Passagem Oeste do Abrolhos e a Fenda Y, cuja dificuldade técnica é respeitada ainda hoje. De espírito inventivo, desenvolveu equipamentos e roupas quando nem mercado de aventura existia, além de  modalidades esportivas serranas, como a corrida de aventura Marumbi-Morretes. Ainda ativo aos 88 anos é possuidor de grande resistência física, atuando na mediação entre desenvolvimento econômico e preservação ambiental em inúmeros conselhos e entidades.

» Mais informações

Tadeusz e Cionyra Hollup

Pela sua longa contribuição (70 anos) para a história do montanhismo e inúmeras conquistas de vias, entre elas a Chaminé Galotti. Pela sua luta e manutenção do Clube Excursionista Carioca (CEC) nos piores momentos de sua história, inclusive mantendo o clube financeiramente. Pioneiros do montanhismo brasileiro, com diversas conquistas de vias clássicas da nossa cidade, como também sempre mostrou um amor incondicional pela vida na montanha. Outras conquistas: Ch. Galloti, Agulha George Guarishi, Pr.Secundo Costa Neto.

» Mais informações

Sérgio Ferreira Beck

Sérgio Beck foi o primeiro brasileiro a alcançar um pico com mais de 8.000 metros de altitude, o Choyu, em 1991. Explorou e abriu inúmeras trilhas em diversos estados brasileiros. Suas incursões na Serra da Mantiqueira contribuíram para o estabelecimentos do  que veio formar a Transmantiqueira. Seu feito mais importante foi disseminar seu conhecimento e influenciar toda uma geração de montanhistas com a produção de diversos manuais e livros, artigos e vídeos. Além de caminhadas, Beck se dedicou à escalada, explorou e mapeou cavernas. Beck fez parte do Centro Excursionista Universitário (SP) e foi presidente desse clube.